Processo de Produção de Vacinas do CPV

TÉTANO

O tétano é uma doença infecciosa aguda e grave, causada por uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium tetani, que entra no organismo através de ferimentos abertos ou lesões de pele, causando espasmos musculares. Dependendo da localização e gravidade da infecção, pode levar a morte. O tétano não é transmitido de um indivíduo para o outro. A transmissão se dá como consequência de um corte, queimadura, tecidos necrosados ou ferimento na pele, desde que ele esteja sujo por poeira, terra, esterco, fezes, etc., contaminados com esporos da bactéria.

O processo de produção da anatoxina tetânica, é iniciado através da cepa bacteriana de Clostridium tetani que é cultivada em meios de cultura líquido e específico, em condições anaeróbicas para o crescimento bacteriano. O processo fermentativo é realizado em biorreatores seguindo as etapas de clarificação, sistema de ultrafiltração tangencial, filtração clarificante e esterilizante, processo de destoxificação, purificação (ultrafiltração tangencial, cromatografia e filtração esterilizante), como também preparo de soluções, limpeza (CIP – clean in place), esterilização (SIP – steam in place) e descontaminação/neutralização de efluentes.

 

 DIFTERIA

A Difteria é uma doença infectocontagiosa aguda e transmissível causada pelo Corynebacterium diphtheriae, que provoca inflamação da mucosa da garganta, do nariz, da traquéia e dos brônquios, a inflamação ocorre nas mucosas das vias aereas superiores ou em pequenas feridas cutâneas. A patogenicidade da C.diphtheriae é através da invasão do local dos tecidos através da colonização e proliferação bacteriana seguida da produção de toxina que causa morte das células eucarióticas e tecidos pela inibição da síntese das proteínas nas células. O modo de transmissão é feito pelo contato direto de pessoa doente com pessoa suscetível, através de gotículas de secreção eliminadas por tosse, espirro ou ao falar ou ainda por lesões na pele.

 O processo de produção da anatoxina diftérica, é iniciado através da cepa bacteriana de Corynebacterium diphtheriae que é cultivada em meios de cultura líquido e específico, em condições aeróbicas para o crescimento bacteriano. O processo fermentativo é realizado em biorreatores seguindo as etapas de clarificação, sistema de ultrafiltração tangencial, filtração clarificante e esterilizante, processo de destoxificação, purificação (ultrafiltração tangencial, precipitação e filtração esterilizante), como também preparo de soluções, limpeza (CIP – clean in place), esterilização (SIP – steam in place) e descontaminação/neutralização de efluentes.

PERTUSSIS ACELULAR

A coqueluche ou pertussis é uma doença infecciosa aguda e transmissível, que compromete e adere aos cílios do trato respiratório (traquéia e brônquios) e é causada pela bactéria Bordetella pertussis. A doença é caracterizada por três fases: fase catarral com sintomas similares ao resfriado, seguido da fase paroxística com sintomas mais agudos e graves e uma última fase de convalescença com recuperação gradual. O modo de transmissão é feito pelo contato direto de pessoa doente com pessoa suscetível, através de gotículas de secreção eliminadas por tosse, espirro ou ao falar.

 O processo de produção do pertussis acelular, é iniciado através da cepa bacteriana de Bordetella pertussis que é cultivada em meios de cultura líquido e específico, em condições aeróbicas para o crescimento bacteriano. O processo fermentativo é realizado em biorreatores seguindo das etapas de extração, purificação, destoxificação/inativação, adsorção, como também preparo de soluções, limpeza (CIP – clean in place), esterilização (SIP – steam in place) e descontaminação/neutralização de efluentes.

 

HEPATITE B

A Hepatite B, transmitida através do contato com fluídos corpóreos, ainda está entre as piores ameaças à saúde pública, com cerca de 1 milhão de mortes anuais. Além dos casos de morte, centenas de milhões de pessoas sofrem com a infecção crônica, muitas delas evoluindo para cirrose e câncer hepático. A prevenção através da vacinação em massa é a única estratégia eficaz para evitar a doença.

O processo de produção do Hepatite B, é iniciado através da cepa recombinante de Pichia augusta que é cultivada em meios de cultura líquido e específico, em condições aeróbicas para o crescimento da levedura e permitir a expressão do antígeno de superfície do vírus. O processo fermentativo é realizado em biorreatores, seguindo as etapas de extração, purificação, como também preparo de soluções, limpeza (CIP – clean in place), esterilização (SIP - steam in place) e descontaminação/neutralização de efluentes.